As mídias sociais tem papel terapêutico durante a crise

Nunca na história da humanidade a internet foi tão usada. Para o bem ou para o mal.


Por Tiago Peixoto @tiagoyoga

O artista americano Andy Warhol tinha razão. Todas as pessoas realmente estão curtindo seus 15 minutos de fama, e graças ao advento do Corona Vírus estamos vivenciando a profusão de internet live broadcasts, transmitindo toda sorte de informação para uma vasta e pulverizada audiência global. Uma propagação desenfreada de conteúdo multimídia na forma de aulas, palestras, podcasts, cursos e muito mais.




O fato é que, a cada ano, a internet reafirma seu valor e utilidade, ao revelar inovações que facilitam nosso dia-a-dia. Seja para comprar ou vender um produto ou serviço, ou para aprender um conhecimento ou, simplesmente, para colaborar ou passar uma mensagem .


O relatório Digital 2019, publicado no fim do ano passado nos EUA, mostra dados e insights sobre inovação, tendências e a evolução do uso de smartphones e mídias sociais, indicando um crescimento exponencial no uso das redes sociais e plataformas multimídia para os próximos anos.

Mas, a final, isso é uma coisa boa, ou ruim? Será que a qualidade, em tempos de explosão da internet, tem mais a ver com a facilidade de acesso oferecidos pelos meios digitais? Ou será que a qualidade do trabalho das pessoas que o produzem é o fator preponderante para construir uma oferta sustentável?


Se avaliarmos pelo lado da audiência, em princípio, a grande oferta de lives é atraente, já que nos permite escolher dentre várias fontes aquela que mais atrai. Já pelo lado dos produtores, em princípio, a facilidade de uso e acesso da tecnologia é uma grande aliada, e permite produzir e entregar conteúdo diverso sem restrições geográficas.

Em momentos de restrições e isolamento social, as pessoas tendem a dar mais atenção aos detalhes, e cedo ou tarde, discernimos sobre a necessidade ou benefício real do que estamos consumindo (mesmo quando gratuito).

Então, no final das contas, não se trata de bom ou ruim, já que é apenas um meio. Como sempre, é fundamental discernir e ser diligente quanto ao fim. Aproveitar o momento para avaliar criteriosamente cada situação e cada informação. Em alguns casos será preciso alterar alguns parâmetros, e considerar novas perspectivas para adaptar-se e aproveitar oportunidades a frente.


Assim, o importante, acima de tudo, seja na tempestade ou bonança, é estar sempre ciente das suas reais necessidades para adaptar-se aos meios e aproveitar o fim.




23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo