Entenda o Yoga além do tapetinho

Prática precisa estar alinhada aos estudos para atingir evolução como um todo: corpo, mente, emoção e espírito


Por Ana Clara Monteiro


Em algum momento desta pandemia você já parou para pensar: “parece que todo mundo está fazendo yoga”? Pois é, também tive essa sensação. Mas talvez isso indique que as pessoas estão procurando cada vez mais equilíbrio físico e mental, principalmente, pela alta carga de estresse e ansiedade. Porém, a prática do yoga não é recente e nem tão pouco “moda”.


Para a professora de Yoga Integrativa, Poli Gava, ao pesquisar por “cuidados com a saúde” na internet, muitos foram direcionados às aulas de yoga no YouTube, por exemplo, e acabou sendo uma união perfeita para esse “bum” atual.


“Durante a pandemia, no isolamento de suas casas, muitas pessoas passaram a ter o tempo que faltava para se cuidarem, e dedicaram este tempo às práticas de atividades físicas, alimentação mais saudável e observar suas atitudes, pensamentos e sentimentos. Como nada é por acaso, todos os caminhos estão abertos e acessíveis para quem está em busca do autoconhecimento, de respostas que levam a uma vida saudável e da libertação espiritual”.

A empresária e comunicadora, Naná Souza, começou o yoga por curiosidade e acabou descobrindo uma maneira de levar a vida.


“Comecei o yoga um ano e meio antes da pandemia e não sabia o que era, fui para conhecer e descobri que não era nada daquilo que imaginava. Coisas que eu achava que jamais faria, hoje consigo fazer, porque o yoga me ensinou a ter paciência porque é um processo de evolução”.




Como o yoga surgiu?


Pesquisadores calculam que o yoga surgiu há mais de dois mil anos antes de Cristo no noroeste da Índia, em uma região chamada de Vale do Rio Indo. Porém, há uma divergência sobre quem criou o yoga, já que alguns citam Patanjali e outros falam de Shiva. Em relação à chegada do yoga no ocidente, a estimativa é de 1863 com Swami Vivekananda, quando ele viajou para uma conferência em Chicago, nos Estados Unidos.


Mas muito além dos contextos históricos, é importante compreender que além das posturas, a prática real do yoga transcende o funcionamento da mente e dá os caminhos certos para o olhar interno.


“Nos habituamos a ver o yoga como sendo exclusivamente a prática de asanas, que são os movimentos do corpo. Mas este é apenas um galho do que é conhecido como Ashtanga yoga, que são os oito passos da prática. O yoga se torna completo na vida diária quando incorporamos à nossa rotina conhecimentos milenares, mas ao mesmo tempo tão atuais e necessários para uma vida saudável”, explicou Poli sobre a filosofia que o yoga traduz.

A engenheira ambiental e professora de yoga, Nayane Alves, ainda acrescentou que nos dias atuais estamos sempre focados em algo que não é o “aqui e agora”, por isso desenvolvemos anseios que podem ser evitados.


“Atualmente nós estamos no trabalho pensando o que tem para fazer em casa; na hora de dormir estamos pensando no trabalho. Estamos sempre devendo atenção a alguém... Estar no presente é o melhor que podemos fazer. Mas quando você começa a praticar o yoga e entender a sua essência, compreende a importância de agir com consciência no lugar de reagir a estímulos”.




Yoga como estilo de vida


Com o significado de união, o yoga além de representar a conexão com o próximo, também liga o ser e a consciência ao físico, mental e espiritual e podemos classificá-lo como uma filosofia e um estilo de vida. Já percebeu a complexidade de se desligar de fatores externos ao parar por apenas 20 segundos com os seus pensamentos?


Mas a evolução mental e espiritual vai além das práticas físicas, já que é preciso estudar o yoga para atingir o aprendizado completo. A prática diária traz sim resultados, mas o tapetinho por si só não promove melhoria significativa e o praticante pode alcançar melhores resultados se aprofundar os conhecimentos com a ajuda de livros.


Para Poli, esses estudos são a base para um entendimento mais profundo do sentido da vida, dos nossos propósitos e de uma visão mais geral, indo além do corpo físico, mas atingindo toda dimensão do nosso ser.


“O yoga nos mostra que somos formados basicamente por quatro corpos que conhecemos como corpo físico, mental, emocional e espiritual (energético). Por isso, precisamos trabalhar todas as dimensões do ser e assim encontrando respostas que nos ajudam a viver os dilemas da vida e que nos causam tantos transtornos psicológicos”.

Uma vez que a parte teórica é compreendida, os ensinamentos filosóficos são levados para fora do tapetinho e os conflitos são entendidos com mais clareza.


“Abrindo a sua cabeça para o todo que existe, você começa a praticar de forma diferente. A parte física é um dos passos que Patanjali cita, mas você consegue trazer toda a filosofia para dentro de si e o conhecimento para o cotidiano, entendendo quem você é, qual seu papel no todo e ter o entendimento certo para conseguir aplicá-lo”, pontuou Nayane.

Naná comentou sobre a evolução física e mental ser constante para os praticantes.


“Minha evolução com o yoga foi sensacional. Com os pranas, por exemplo, aprendi a respirar de verdade e quando acontece algo que me deixa ansiosa, paro, respiro e me acalmo. Hoje levo o yoga para além da prática e tento colocá-lo como um estilo de vida”. Tem uma frase de Iyengar no livro Luz na Vida, que eu gosto muito, que diz o seguinte: ‘para um yogue liberdade significa não ser atingido pelas dualidades da vida, por seus altos e baixos, seus prazeres e sofrimentos’. Essa frase eu acho que diz muito sobre o que é o yoga”, finalizou Nayane.





Que tal começar hoje a ler livros que te ajudam na evolução dos quatro corpos?



Bhagavad-gita, Francisco Valdomiro Lorenz — obra mais conhecida da literatura sânscrita, o livro traz um diálogo entre Krishna e o príncipe Arjuna e mostra respostas para situações da vida. Também mostra que, mesmo escrito há milênios, seus ensinamentos são atemporais e fundamentais.



Yoga Sutras de Patanjali, Patanjali — leitura clássica que norteia os praticantes de yoga sobre concentração, meditação e autorrealização. As mensagens do livro guiam a mente e a consciência em direção à felicidade, paz e lucidez.



Autoperfeição com Hatha Yoga, José Hermógenes (professor Hermógenes) — guia sobre a prática do yoga que traz dicas alimentares, de relaxamento e atitude mental, além de mostrar que é um treinamento que proporciona bem-estar físico e espiritual.



Luz na Vida, Iyengar — Este livro fala sobre um método desenvolvido por Iyengar, que pode ser praticado por todos, focado no desenvolvimento do yoga e da saúde para atingir a paz interior e buscar a qualidade de vida.



Yoga para Nervosos, professor Hermógenes — Nos anos 60, o yoga não era muito conhecido, mas foi apresentado como uma terapia que poderia auxiliar nos distúrbios e disfunções mentais. Anos depois a prática se tornou necessária para encontrar o equilíbrio entre mental meio as vidas conturbadas.



Budismo Moderno, Geshe Kelsang Gyatso — com os ensinamentos de Buda sobre compaixão e sabedoria, o livro mostra, de forma simples, a essência desses ensinamentos, que aplicadas no cotidiano podem transformar vidas e melhorar o relacionamento tanto pessoal quanto com o próximo.



[]