Disfunções hormonais explicadas pela terapia ayurveda


Hábitos saudáveis e yoga podem ser associados a uma melhor qualidade de vida.

Por Ana Clara Oliveira




Mau humor, ganho de peso, calor, suor excessivo, insônia. Estes podem ser sintomas de cansaço e estresse, mas também podem ter mais uma razão: disfunção hormonal. Estima-se que uma a cada 15 mulheres podem desenvolver distúrbios hormonais.


De acordo com a endocrinologista Viviane Liberano, muitas podem ser as alterações hormonais na mulher, pois o corpo feminino possui diversas glândulas, cada qual responsável por uma produção hormonal específica. Entre as queixas mais comuns estão as alterações menstruais, indisposição, irritabilidade, alterações do sono, ganho ou perda de peso e baixa libido


“Conforme o tipo de disfunção hormonal, os sintomas podem variar, sendo o tratamento baseado na reposição do hormônio em falta (produção insuficiente) ou no bloqueio (hiperprodução). As disfunções hormonais mais comumente encontradas na mulher são hipotireoidismo e Síndrome dos Ovários Policísticos”, explicou a médica.

A origem da disfunção pode estar associada à hereditariedade, mas embora nem sempre seja considerada como doença, a menopausa pode também trazer sintomas desconfortáveis à mulher.

“Esta condição também deve ser avaliada e tratada. Toda mulher deve ficar atenta a sua saúde, devendo procurar seu médico para avaliação quanto a necessidade de investigação de disfunções hormonais”, orientou Viviane.

Além disso, as complicações hormonais podem também ser associadas aos hábitos errados ou até mesmo desconhecidos que as mulheres levam durante a vida e que podem ser explicados dentro da terapia Ayurveda, que em sânscrito significa “ciência da vida”.


O sistema de medicina praticado pela Ayurveda vê o ser como único e individual. Desta forma, mesmo que duas ou mais pessoas tenham sentido algo parecido, não significa que elas tenham o mesmo problema de saúde ou o mesmo comportamento. O programa de tratamento é feito analisando o ser individual, entendendo que a causa dos problemas pode ser diferente para cada pessoa.



Hábitos saudáveis podem minimizar efeitos hormonais


De acordo com a professora de Yoga e terapeuta ayurveda, Citananda, a disfunção hormonal também pode estar associada ao fogo digestivo.


“Tudo que é muito bem digerido e eliminado funciona melhor. O fogo digestivo vai cozinhar os alimentos e faz com que a nutrição ocorra de forma correta através da simulação dos nutrientes. O problema é que existem muitos fatores que podem atrapalhar o fogo digestivo, fazendo com que ele aumente ou diminua”, explicou Cita.

Porém, o fogo digestivo não está associado apenas ao sistema digestivo, como o estômago, por exemplo, mas também a digestão das informações.


“É preciso ter uma rotina diurna e noturna equilibrada e através de atividades que sejam coerentes com aquela pessoa e também de acordo com a estação do ano. É importante manter o equilíbrio através da alimentação. A natureza fornece aquilo que o corpo precisa em determinada estação”.

Em algumas mulheres a disfunção pode estar relacionada à menstruação, que produz sintomas como aumento do peso, acne e excesso de pêlos no corpo. E algumas atitudes simples podem ser tomadas (ou até mesmo evitadas) durante o período menstrual para ajudar na qualidade de vida.


“As vezes é algo muito simples que poderia ter sido evitado. Por exemplo, as mulheres não deveriam fazer esforço e passar cosméticos na pele no período menstrual. Porque nesta fase, o corpo incha e passa por mudanças e ele precisa lidar com a excreção do sangue. Fazendo isso, o corpo pode entender como um sinal de luta e precisa lidar com a situação. Ou seja, além de trabalhar durante o processo menstrual, ainda precisa ‘combater’ outras questões externas. Por isso, o ideal é dar um descanso para o corpo durante este período”, acrescentou a professora.

Constante evolução no Yoga


O Yoga tem como uma das principais funções controlar as oscilações da mente, porque o ser humano tem o hábito de estar o tempo inteiro sofrendo contrações da mente. Sendo assim, está sempre pensando no que pode ou não fazer, o que ainda vai acontecer no futuro. Então, o comportamento mental está sempre trabalhando, mesmo dormindo.


“Relaxar, alongar, respirar, meditar e ter consciência do ‘aqui e agora’ são muito interessantes para o corpo, já que tem influência sobre o córtex frontal, que é onde passamos as informações para dentro do corpo. E dali vai para o hipotálamo, que faz a ligação entre o sistema nervoso e o sistema endócrino e controla os hormônios”, finalizou Cita.

Por conta disso, ter o Yoga como um estilo de vida te permite viver o presente e entender que é fundamental o equilíbrio entre corpo, mente e alma.

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo