Comece a meditar hoje!

Como a meditação pode ser uma aliada para reduzir o estresse do isolamento social


Por Juliana Meneses


O isolamento social de mais de um ano de duração está afetando diretamente a mente e o corpo de todos. Sensação de cansaço, medo, dificuldade de concentração e insônia estão entre as queixas mais recorrentes daqueles que estão há tanto tempo nesta rotina repetitiva imposta pela pandemia que vivemos. Não está sendo fácil e por mais que o tempo passe, é difícil se adaptar, ainda mais com a quantidade de notícias diárias sobre o cenário atual, que deve se estender ainda por um tempo. Mas é necessário tentar realizar atividades no dia a dia que tentem minimizar esses impactos nocivos vivenciados, para melhorar a qualidade de vida, ter foco e disposição para as tarefas necessárias.


A prática da meditação pode ser extremamente relaxante e trazer uma grande sensação de bem-estar, algo tão desejado atualmente. Ela ajuda a atenuar a sensação de ansiedade e auxilia na saúde mental. É comum que se pense que para meditar precisa de técnica, ou que deve durar um tempo determinado, mas essa prática milenar pode ser mais simples do que parece.


A guia de meditação, professora de Vinyasa Flow e terapeuta sistêmica, Aline Juruena de Mattos, explica que para meditar é necessário relaxar e aceitar o momento presente, pensamentos podem ocorrer, isso é comum e faz parte do processo.


“‌Uma dica importante na hora da prática da meditação passiva ou da guiada é que o praticante feche os olhos, fique numa posição confortável e procure relaxar se concentrando na sua respiração, na entrada e saída de ar do corpo, no momento presente. Ao inspirar encha a barriga de ar e ao expirar recolha o abdômen. Foque na sua respiração e no movimento da sua barriga. Se algum barulho, sensação e pensamento vier, deixa vir e deixa ir. Não resista. Aceite o momento presente. Ele tem esse nome pois é um presente”.


Aline fala ainda que a meditação é uma forma de acalmar, se conectar com sentimentos agradáveis e possibilita ao praticante a oportunidade de adquirir calma para resolver os problemas.


“A prática de meditação aumenta a paz, alegria, criatividade, foco, autoestima, energia, imunidade, consciência, fluidez, confiança, plenitude e coragem. Em momentos desafiadores meditar não é só uma ferramenta para mudar a vibração do corpo e da mente, é também uma forma de prevenção pois faz a pessoa lidar com mais paz diante dos problemas do dia a dia”.

A professora ressalta que a prática da meditação influência no corpo, sobretudo pela respiração mais profunda e relaxamento que ela traz.


“O processo fisiológico da meditação acontece quando uma menor quantidade de neurônios é ativada devido a uma entrada reduzida de informações do exterior. Ocorre uma melhor oxigenação dos tecidos pela dilatação das artérias e uma maior profundidade da respiração, um importante relaxamento muscular e uma sensação de tranquilidade”.




A praticante de Yoga e meditação, Taíssa Marinho, conta que já meditava há alguns anos, mas com a pandemia identificou uma necessidade de aprofundar ainda mais sua prática, recorrendo a meditações guiadas, que são excelentes para que o praticamente não perca o foco no momento presente. Ela destaca que a atividade lhe ajudou a minimizar o estresse.


“Tento meditar desde 2016, entretanto meditar é um processo interno da aquietação das atividades mentais do seu eu. Então, ainda estou nesse processo, no início eu não conseguia me concentrar para realmente entrar em estado meditativo, mas com a pandemia por COVID-19 senti mais necessidade desse recolhimento das atividades mentais e foi quando busquei pelas meditações guiadas e conhecer mais sobre o mundo da yoga. Contudo, em 2020 que comecei realmente a meditar, atualmente costumo meditar cinco vezes por semana. Acredito que meditar me fez ter mais concentração nas minhas atividades, uma visão melhor de mundo e prioridades, além da mitigação do estresse. Com a meditação a busca do recolhimento das atividades mentais traz a virtude da reflexão sobre seus atos e como atua no seu corpo físico e mental”.


Taíssa é bióloga, mestranda em Engenharia Ambiental e graduanda em Pedagogia, ela conta que no início da pandemia saiu de seu antigo trabalho e está se dedicando aos estudos, além do curso de formação de yoga. Com intensa quantidade de leitura e aprendizado que sua rotina exige e as pressões do isolamento social, ela relata que a prática da meditação tem sido fundamental para lidar com o cotidiano.


“Costumo dizer que foi minha melhor escolha. Esse período de pandemia e isolamento social me deixou muito ansiosa e meditar me trouxe a calmaria e foco que eu precisava, a reflexão e autoconhecimento proporcionado faz com que você se entenda e faça determinadas ações necessárias naquele momento”.

Para ela, a maior dificuldade foi aprender a se concentrar, mas persistiu nas tentativas diárias, mesmo que apenas por alguns minutos. Taíssa destaca também que a meditação é uma possibilidade de se conectar com o autoconhecimento.


“Entendi que a calmaria precisa vir de dentro, e nesses momentos o caos externo não poderia me influenciar. Então tornei prática diária me recolher por alguns minutos e dedicar esse tempo ao meu autoconhecimento e ao recolhimento das minhas atividades mentais. Meditar remete a oportunidade de me conhecer melhor, de me amar e compreender o outro lado desconhecido. De conectar com o melhor de mim e com a energia de cada elemento. Se temos a oportunidade de desbravar o mundo além das externalidades e utilizar com ferramenta de aprendizagem e autoconhecimento diário, por que não embarcar nessa experiência única? Contudo, foi minha melhor escolha ter persistido em buscar esse conhecimento e conexão. Como mencionado anteriormente é um processo, e como todo processo precisa de dedicação e vontade.”




Como meditar?


1) Escolha um ambiente silencioso e sem distrações como televisão ou celular.


2) Sente-se ou deixe-se confortavelmente, mas perceba que a prática deve te conectar com o momento presente, não é hora de dormir.


3) Feche seus olhos e respire profundamente. Caso esteja fazendo uma meditação guiada, procure imaginar as instruções e relaxar. Caso esteja tentando realizar sua prática sozinho, mantenha seu foco no momento presente e relaxe, caso algum pensamento ou sensação surja, deixou passar por sua mente, tente não focar neles, mas não os reprima, é normal que isso aconteça, foque no momento presente.


4) Perceba sua respiração profunda, tente inspirar e expirar longamente.


5) Relaxe seu corpo cada vez mais e deixe braços e pernas pesados, aos poucos você poderá sentir uma sensação de expansão do corpo, sensação de bem-estar e um relaxamento cada vez mais profundo.


6) Ao término, mexa devagar pés e mãos, e aos poucos vá voltando sua atenção ao redor de onde você está, sem pressa, abra seus olhos e sinta os efeitos da sua prática.

Esse processo pode ser mais lento e profundo, ou pode durar apenas alguns minutos, respeite seu tempo e pense que seu corpo e sua mente serão beneficiados com a meditação.



Benefícios da meditação



Essa prática que pode parecer simples, ao mesmo tempo é muito poderosa, em um mundo cada vez mais veloz e ultra conectado, aprender a ficar em silêncio, relaxar profundamente e estar no momento presente, não focando nos pensamentos ou nas atividades que você deve desempenhar, pode ser uma forma de conseguir dissipar um pouco da ansiedade e do estresse da rotina.


Dentre os benefícios mais relatados pelos praticantes da meditação estão a redução do estresse, atenuação dos sintomas depressivos, controle de ansiedade, melhora na qualidade de memória, melhora na qualidade do sono, auxílio no desenvolvimento do foco e da concentração, auxílio no controle de vícios, mas é importante ressaltar que a prática da meditação não substitui nenhum tratamento médico, ela pode ser uma facilitadora na sensação de bem-estar e auxiliar a diminuir sintomas, quando feita em parceria com os tratamentos oficiais, bem como com as medicações necessárias para cada patologia.


[]

96 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo