Alimentação saudável impacta mais no bem-estar feminino do que masculino

Mulheres precisam de mais nutrientes na dieta e estilo de vida balanceado para manter saúde mental


Por Ana Clara Oliveira


Manter uma alimentação saudável traz inúmeros benefícios para a vida, que vão desde fortalecimento do sistema imunológico à memória e concentração. Porém, uma pesquisa feita pela Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos, revela que mulheres precisam de mais nutrientes do que os homens para manter o bem-estar emocional.


Para chegar a este resultado, os cientistas fizeram uma pesquisa anônima por meio de um questionário online com 563 participantes, sendo 48% homens e 52% mulheres e após analisar as respostas, foi possível entender que o sexo masculino consegue manter o bem-estar emocional até começar a surgir deficiências nutricionais. As mulheres, no entanto, precisam de uma dieta e estilo de vida balanceados para encontrar esta satisfação.


De acordo com Lina Begdache, professora assistente de estudos de saúde e bem-estar da universidade, os resultados podem explicar relatos de estudos anteriores que mostram que as mulheres têm um risco maior ao sofrimento mental.


“A maior conclusão é que as mulheres podem precisar de um espectro maior de nutrientes para manter o humor, em comparação com os homens”, disse Lina.

Mas para manter o bem-estar emocional é importante dar preferência aos alimentos naturais e pouco processados, já que podem ter uma quantidade de nutrientes reduzida. De acordo com a professora de yoga e terapeuta ayurveda, Citananda, alimentos naturais e hábitos saudáveis podem impactar diretamente no cotidiano feminino.


“É importante respeitar o hábito saudável com alimentação regular, consumindo alimentos integrais, por exemplo. Outro fator que deve ser levado em consideração é a importância de comer alimentos sazonais, porque se a natureza está te oferecendo aquilo naquele momento, quer dizer que é a melhor qualidade do alimento”, explicou.




Para Izabel Cristina de Oliveira, assessora comercial, depois de começar a se alimentar de forma correta ao entrar na menopausa a qualidade de vida mudou, já que abriu mão de alimentos considerados não saudáveis no dia-a-dia para fazer reeducação alimentar.


“Eu nunca me alimentei mal, sempre comi muitas frutas e verduras, mas em um determinando momento também comia bastante lanche, porque chegava tarde do serviço, estava cansada para fazer janta e comia alimentos gordurosos e práticos. Quando fui à médica que já me acompanha, ela me orientou em relação à alimentação e eu realmente notei uma grande diferença no meu corpo”, contou Izabel.

Além disso, também reforçou que o horário correto para consumir determinado alimento é importante para que o organismo consiga processá-lo adequadamente.


“Os alimentos da noite, por exemplo, não devem ser tão pesados a ponto de te fazer perder o sono, como uma feijoada ou carnes pesadas, e nem tão leves que te façam ter insônia. Mas é importante comer alimentos que sejam digeridos facilmente, porque à noite o corpo precisa estar preparado para produzir os hormônios da noite e fazer toda a nutrição noturna e não estar focado apenas na digestão dos alimentos”. Depois que eu passei a me organizar e já pensar em um possível cardápio para todos os dias da semana, preparar os alimentos se tornou mais rápido. E ainda notei que minha produtividade e concentração aumentaram, porque me alimento melhor à noite”, disse Cristina.

Porém, para que os resultados sejam ainda mais positivos, é preciso aliar alimentação saudável com a prática de atividades física.


“O estilo de vida também influencia. Dormir bem, comer bem, fazer atividades físicas, meditação. Além disso, também tem as questões que alimentam a nossa mente, como o que assistimos, ouvimos e consumimos de informação. O que você consumiu que não foi bem ingerido também pode virar toxina no corpo”, orientou Cita.




Confira lista de alimentos que podem ajudar no bem-estar emocional


  1. Integrais (pães, massas, arroz), aveia, farelo de trigo, gergelim, castanhas, nozes, quinoa

  2. Frutas: abacaxi, banana, melancia, água de coco

  3. Legumes: cenoura, tomate, batata, gengibre, alho, abóbora

  4. Folhosos verde escuros: couve, mostarda, almeirão, agrião, rúcula, espinafre, brócolis, acelga, pequi, coentro, salsa, hortelã

  5. Feijão, soja, tofu, tempê, lentilha

  6. Coalhada, iogurte natural, sucos naturais


DICA: evitar os refinados, açúcar, café em excesso e fritura.




[]

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo